Planejamento de investimentos: balanço de fim de ano e metas 2018

E aí galera da Finansfera!

Este último ano passei melhorando meus acompanhamentos, minha estratégia e meus valores no campo dos investimentos.

Gosto de usar esse espaço para discutir e registrar minha jornada. Hoje percebo que esse processo de registro me ajuda a definir melhor minha estratégia e segui-la de forma mais fiel. Dito isso vamos ao tema.

Então é Natal e o que você fez?

Clichés à parte, estamos no último mês do ano e como disse no título do post precisamos falar sobre metas: o que fizemos e o que faremos.





Abaixo mostro a distribuição do portfólio e o balanceamento de cada carteira, comparando os meses de ago/17, quando fiz o primeiro post do portfólio, a distribuição atual nov/17 e a distribuição meta, que espero alcançar até final de 2018.




Meu cenário base é a busca de um portfólio mais defensivo, principalmente porque acredito que o ano de 2018 será de teste de stress.

Podemos ver que o cenário não está tão favorável como a equipe econômica do governo gosta de dizer. Vamos olhar a curva de juros futuro para verificar a expectativa do mercado.


Juros futuros - 5 anos

Nem mesmo uma Selic de 7,5% com expectativa de queda, ainda esse semana, para 7% ao ano fez os juros futuros com vencimento em jan/2023 recuassem, sinalizando que o ciclo de juros baixo será curto. Os juros futuros estão ariscos como nunca. Da minha parte realizei a venda dos títulos do tesouro pré e ipca+ em 3 parcelas (set, out e nov) usando a filosofia da parcimônia como falei aqui.

O destino deste resgate foi a terra do Tio Sam, dando prosseguimento à estratégia de dolarização de parcela do portfólio.

No meu post sobre alocação havia pensado numa proporção maior de Selic, mas decidi não priorizar o reposicionamento neste momento. Não faz muito sentido aumentar posição em tesouro Selic com uma remuneração de juros real tão baixa, assim o aumento posições deste título irá esperar.




Para não desbalancear demais a carteira de renda fixa e sair da minha estratégia fiz o seguinte ajuste: Compra de CDBs com prêmio em relação ao CDI. O BMG está oferecendo 116,5% do CDI para o prazo de 1800 dias. Não tem liquidez, logo não substitui completamente, porém como ele permite compras com valores menores, comparado com outros de mesma qualidade, eu resolvi lançar mão da estratégia escada. Ou seja, compro sempre (a cada 2 ou 3 meses) um pouquinho e quando eles começarem a vencer vão gerar um fluxo de caixa constante lá na frente.

Os FIIs de papel, que são contratos de dívida privada, seriam de fato renda fixa se eles não fossem negociados à mercado. Então só compro quando o valor contábil está bem próximo do valor de mercado. Quando defini a proporção de FIIs na carteira não pretendia pesar a mão nos de papel como, de fato, estou fazendo. A janela deste investimento ainda está aberta e por ora sigo comprador.

Acredito que os FIIs de tijolo estão muito caros, essa escalada dos preços foi impulsionada pela queda na taxa de juros, porém os fundamentos deste investimento se deterioram a cada dia. A perspectiva de vacância dos bons fundos pode chegar próximo de 30%, assim vou ser mais paciente com este tipo de investimento e esperar um momento mais oportuno. Alguns fundos de gestão ativa estão se desfazendo de seus investimentos neste momento ruim do mercado de locação, enquanto deveriam estar aproveitando o baixo juros e alto preço das cotas para realizar aumento de capital e fazer novas aquisições num mercado imobiliário fraco. Dentre os fundos de tijolo que acompanho, somente vi isso ser feito pelo FFCI e HGLG.

Dividendos são destaque da estratégia, especialmente no Brasil onde não é taxado. Aqui os setores de energia e seguros são carro chefe.

Nos EUA vou de REITs. Minha lista radar já reduziu bastante, destaque para DLR, AMT, VTR, O, SPG, WPC, STAG, LAND, SKT, OHI IRM, EPR, KIM, FRT e HCN. No mercado de ações estou priorizando aquilo que o mercado está entregando. Empresas de alimentos, commodities agrícolas, metais e óleo. Também estou fazendo uma fezinha no setor de varejo, especialmente farmácias. Outro setor que está chamando minha atenção é indústria farmacêutica e de tabaco.

Para adicionar um pouco de tempero vou lançar Call coberto ao longo do ano, vou tentar rentabilizar a volatilidade da Bovespa por meio das opções. Essa carteira não é de investimentos, mas especulativa e como tal será uma parte menor do capital, com vista a aumentar a rentabilidade global. A estratégia é rasteira: Lançamento de call com strike pouco acima do preço do ativo. O objetivo é 350 reais mensais com essa carteira.

Minha meta de renda passiva será de acumular R$10.200,00 ao longo de 2018. Ainda não tenho condições de ter uma meta mensal variável em função de alguma sazonalidade nos dividendos, sendo assim, estou considerando R$850/mês.

Estou conseguindo fazer o movimento de distribuição do portfólio que me propus em ago/17, mas fiz um pequeno ajuste na meta, especialmente em Selic e a criação de uma carteira de Trade/Opções, para poder melhorar o monitoramento, pois antes ela estava junto com as ações buy and hold.





Eu uso uma regra de somente comprar o que o mercado está entregando. No livro o Investidor Inteligente Graham diz: “compre ações como quem compra alimentos, não como quem compra perfume”. Isso por vezes trabalha no sentido de desbalancear as carteiras, mas a ideia é sempre buscar a distribuição meta do Portfólio.

Em 2018 existe uma boa chance de iniciar uma carteira de imóveis. Tenho um dinheiro empatado no FGTS e essa pode ser uma boa oportunidade de iniciar um investimento deste tipo no portfólio. Ainda tem muitas questões antes deste projeto avançar, mas considero importante ter uma parcela dos investimentos em algo deste tipo, além do mais, eu retiro meu dinheiro de aplicação que tem baixa remuneração e nem é tão segura assim.

Conclusão

Estamos seguindo o rumo traçado e fazendo pequenos ajustes conforme as carteiras e o mercado evolui.

E vocês? Como estão planejando o ano de 2018? O que acharam da minha estratégia?

Grande abraço, bons investimentos e até o próximo post!!!

Disclaimer: Não sou analista certificado. Todos os ativos apresentados nesse blog são apenas ilustrativos, não representando qualquer indicação (nem de compra, nem de venda, nem de manutenção).
Este blog serve apenas para fomentar discussões e trocar experiências.
Conheça bem o mercado que você investe, pois os resultados de suas operações são de sua inteira responsabilidade.

Comentários

  1. Olá Janota,

    Parabéns pelas metas alcançadas e pelas propostas.

    Tomara que dê certo esse negócio com opções.
    Também vou fazer um post parecido.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cowboy!
      Obrigado! Como disse o gato para a Alice: para quem não sabe onde quer chegar qualquer caminho serve!
      Agora é só seguir o plano!
      Estou aguardando seu post!
      Abraço

      Excluir
  2. Poxa, vejo que entende bastante hein! Há quanto tempo você mexe com investimentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs então quer dizer que vc tb entende!
      Trabalho com projetos (investimento e planejamento) há mais de 10 anos.
      Nas financias pessoais meu forte sempre foi renda fixa.
      Abraço!

      Excluir
    2. Só pra não deixar ambiguidades projeto no caso entenda construção de nova planta industrial (papel, aço, geradora)
      Abraço

      Excluir
  3. Olá Janota!


    Parabéns pelas metas! Sua estratégia é parecida com a minha. Alocar um pouco no exterior, retirar uma grana mensal com opções (apesar de eu não estar fazendo nada ainda hehe)

    O FGTS usei para dar entrada no o ap onde moro. Pretendo quita-lo em 10 anos (ou até menos quem sabe hehe)

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Inglês,
      De fato nossa estratégia parece muito! Rsrs
      Agora é seguir!
      Abraço!

      Excluir
  4. Ótima estratégia, queria ter feito como vc e saído das NTN-b quando a taxa estava 5%, sigo posicionado esperando uma queda que talvez não ocorra mais. Enfim, parabéns pelo ótimo ano que teve, gostei muito de como abordou o assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Doc Invest,
      Em setembro foi a melhor saída dos pré e ipca +, Na época cheguei a pensar q estava precipitado, mas daí pra frente só piorou.
      Como comentei também fiz retiradas em outubro e novembro.
      Obrigado pelos comentários!
      Sucesso!

      Excluir
  5. Parei de traçar metas já tem alguns anos, nunca davam certo, rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Uó,
      Planejamento é algo muito difícil para nós brasileiros, simplesmente não tá na nossa cultura, muitos pensam ser perda de tempo. Mas pelos resultados que você tem acredito que reflete muito sobre seus próximos passos e projetos apesar de não colocar no papel.
      A minha experiência profissional é muito calçada no planejamento de longo prazo e hoje para mim é natural ver a importância e a diferença de fazer as coisas com maior e melhor planejamento!
      Abraço!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Calculando Impostos de investimentos no exterior: passo a passo

Conta BB America - taxas ocultas