Alocação - Núvens cinzas no horizonte

Olá Finansfera,

Enquanto escrevo esse post não estou necessariamente explicando como faço as minhas escolhas, mas principalmente como quero fazê-las daqui pra frente. Como vocês já leram aqui (link post de apresentação) investir em ações é algo novo pra mim (pois antes eu só especulava) e usarei esse espaço para compartilhar conhecimentos, experiências, experimentos e como diário de bordo, para no futuro analisar a minha aderência e meus resultados. Comecemos!

Seleção de ativos

Primeiro passo na escolha de ativos é a seleção dos setores e na sequência as empresas que possuem larga vantagem competitiva entre seus pares.

É possível encontrar uma lista de empresas e setores no site da Bovespa acessando esse link.

Penso que estou escolhendo empresas para me tornar sócio então devo ter isso claro no momento de executar esse filtro. Não estou fazendo apostas, nem nenhum tipo de exercício de futurologia. Para tanto é necessário ter um bom conhecimento do setor e de como aquele ramo de negócios ganha dinheiro. Não devo investir em algo que não compreendo. Tento me lembrar das empresas que mais se destacam tanto nos noticiários, quanto nos vários blogs que sigo aqui na Finansfera, assim como nos produtos que eu consumo no meu dia a dia.

Penso que o investimento em dividendos é o fator mais importante para mim hoje, desta forma políticas claras de dividendos, assim como consistência no seu pagamento será um segundo filtro.

Para encontrar essa informação podemos consultar os seguintes links (DividendosBRFundamentus e Bovespa)

Agora que realizei esse exercício posso pensar nos indicadores, razões e múltiplos que mais se alinham com meus objetivos. Sendo assim empresas pouco endividadas, com alto fluxo de caixa livre, EV/ebitida, alto ROE e lucro operacional, bons EPS serão priorizadas dentro dos seus setores.

Minha lista de ativos após esse exercício ficou assim:


A lista ainda está grande e pretendo ir reduzindo as ações com o tempo. Escolhida as empresas que irei avaliar neste momento passo a um número limitado de candidatos, posso verificar o comportamento do preço destes ativos. Nesse momento, quero verificar como anda a tendência de curto prazo para definir a prioridade de entrada, que alterarei conforme o andamento da bolsa. Não se trata aqui de tentar buscar timming de mercado, mas de buscar distorções, já que as compras serão escalonadas nos aportes mensais.

ABEV: Excelente empresa com processos de gestão bem desenhados. Produto que tem alta demanda e bem posicionado no mercado brasileiro. Alta exposição aos mercados de toda a América Latina e Canadá. Pagamento de 40% do lucro líquido aos acionistas na forma de dividendos e juros sobre capital próprio.

ITUB: Um dos maiores bancos da América Latina, possui clientes bastante fieis e com grande identidade com a marca. Pagamento de 35% a 45% do lucro líquido como remuneração aos acionistas. Também pode ser incorporado na carteira na forma de ITSA com um bom desconto (detalhe aqui no site do KB Investimentos). 

SMTO: Exposição à 2 commodities agrícolas, álcool e açúcar. Empresa pode modificar o mix de produção conforme demanda do mercado. Também pode gerar receita através da co-geração de energia elétrica. No Brasil é obrigatório a adição de 27% de álcool anidro na gasolina favorecendo essa indústria. A São Martinho remunera seus acionistas com 25% do lucro ajustado. 

VIVT: A empresa segue na liderança da telefonia móvel há mais de 4 anos. Seus concorrentes não estão em boa situação, a TIM com um serviço de baixa qualidade a ponto de optar por mudar a identidade da marca, a Oi está em processo de recuperação judicial o que garante muito tempo sem dividendos. Obrigação de pagamento de 25% do lucro para remuneração de seus acionistas.

Perspectivas

Temos hoje um mercado que perdeu uma linha de tendência de alta e com um noticiário político-policial causando todo tipo de dor de barriga. Um governo fragilizado e acuado, com uma agenda de eleições para 2018 ganhando peso a cada dia.

Historicamente temos um comportamento estressante nessas ocasiões de mudanças no poder, e acredito que desta vez não será diferente! Vamos passar calor até o fim de 2018!

E daí?

Penso que minha alocação deverá ter grande peso em renda fixa  com foco no tesouro direto (TD), sendo a Selic a mais adequada para meu perfil. Outra ponto nevrálgico será realizar Hedge em dólar para proteção, farei isso em conta no BB Américas, realizando simultaneamente proteção cambial e política conforme comentei aqui (link).

As entradas em ações deverão ser mais cautelosas e minhas reservas em TD Selic serão utilizadas para captar as oportunidades vindouras. Possuo na carteira uma quantidade considerável de TD IPCA+ e PREFIXADO, as taxas de juros estão testando suas mínimas históricas e com comportamento bastante "arisco" desde os áudios de Joesley Batista, de forma que pretendo desmontar esta posição em breve aproveitando os ganhos antecipados.

Conclusão

Estamos pisando em ovos, mas podem aparecer boas oportunidades para comprar ótimos ativos na promoção.

Grande abraço, bons investimentos e até o próximo post!!!

Disclaimer: Não sou analista certificado. Todos os ativos apresentados nesse blog são apenas ilustrativos, não representando qualquer indicação (nem de compra, nem de venda, nem de manutenção).
Este blog serve apenas para fomentar discussões e trocar experiências.
Conheça bem o mercado que você investe, pois os resultados de suas operações são de sua inteira responsabilidade.

Comentários

  1. Olá Janota!

    Gostei muito da sua estratégia. Pensamos de maneira parecida (apesar de eu não ser tão detalhista e estratégico quanto você).

    Já te adicionei à minha lista de blogs.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olá Wannabe!

    Obrigado pela visita!
    O difícil agora é se agarrar com a estratégia e segui-la!

    Vamos em frente!

    Sucesso nos investimentos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Regra dos 50% ou o segredo da felicidade nos investimentos

Medidor de Independência Financeira