Regra dos 50% ou o segredo da felicidade nos investimentos

Fala Finansfera!

Existe um trabalho muito prazeroso ao pequeno investidor que é pesquisar em quais ativos irá aportar seu rico dinheirinho.

No caso de tesouro direto não tem muito mistério e eu já deixei alguns bizus aqui, mas nos outros investimentos como CDB’s, debêntures, ações e FIIs o investidor corre o risco de ficar enviesado. E isso sempre acontecia comigo.








No meio das minhas preferências de investimentos para o mês, sempre tinha uma que eu tinha "certeza" que ia bombar. E logo queria concentrar todo o aporte do mês naquele único ativo predestinado ao sucesso.


Percebi nisso um grave defeito. Por melhor que um indivíduo seja na escolha dos seus investimentos, ele sempre pode errar, e eventualmente, errar feio. Se o objetivo for fazer um trade, daí o risco deste viés fica potencializado.

Percepção de sucesso


Vez por outra eu comprava um ativo que subia! Excelente! Vendia com 3% de lucro e ficava feliz! Naquela mesma semana o ativo disparava mais 5%, então eu ficava triste. Aquele sucesso não me consolava perto da disparada posterior do ativo.


Daí conheci a regra dos 50%!


Quando for entrar numa posição só entre com 50% do capital que você imaginou à princípio. Pois, se o ativo cair, você poderá se consolar com o fato de que só entrou com metade do capital.



Se o ativo subir e você resolver vender, só venda metade da sua posição. Se a ação voltar, você já realizou lucro na metade da posição, se continuar subindo você ainda tem a outra metade para realizar.


Desta forma você estará sempre 50% feliz!


É claro que isso é uma anedota! Antes do apedrejamento em praça pública!

Mas ela tem uma moral e essa sim é uma regra de ouro: é o princípio da parcimônia!


Janota buscando a parcimônia nos investimentos

É preciso ser cauteloso com seus investimentos. E uma visão enviesada pode botar a perder o trabalho de um mês, talvez um ano.



Estipulei um teto para entrar numa posição e mesmo nos aportes mensais não tem all-in! Este teto me obriga a comprar de 2 a 4 ativos por mês em renda variável. Nos meses em que escolho aportar em renda fixa, o critério mensal não é tão importante, mas sim o balanceamento das posições dentro do portfólio. Assim, jamais concentro no CDB de mesmo banco ou financeira. O mesmo vale para debêntures.


Na hora de sair de um ativo, a regra da parcimônia também é valiosa! Atualmente estou saindo das minhas posições de LTN23 e NTNF 27. Devo sair em uns 3 resgates para aproveitar esse final da curva de corte de juros, mas com uma exposição cada vez menor ao risco de alta repentina na taxa de juros e consequente redução dos ganhos. Aqueles que estão comprados nestes títulos já devem ter percebido que eles andam bem nervosos.

Esta forma de aportar e resgatar investimentos ajuda na formação de um preço médio favorável ao investidor. Assim, posso garantir que estou muito mais que 50% feliz ao seguir esta regra!


Grande abraço, bons investimentos e até o próximo post!!!

Disclaimer: Não sou analista certificado. Todos os ativos apresentados nesse blog são apenas ilustrativos, não representando qualquer indicação (nem de compra, nem de venda, nem de manutenção).
Este blog serve apenas para fomentar discussões e trocar experiências.
Conheça bem o mercado que você investe, pois os resultados de suas operações são de sua inteira responsabilidade.

Comentários

  1. Interessante esta regra,

    O único problema é o excesso de corretagens dependendo do tamanho do seu aporte.

    Outra idéia é fazer o aporte no início do mês e depois do dia 15 quando receber os rendimentos dos FIIs é fazer a mesma lógica da regra dos 50%

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aportador!
      Também não gosto do aumento de corretagens. Uso a Mirae e meus aportes me custam em média 5,00 por compra. Nos investimentos no exterior a interactive Brokers me permite converter a mensalidade em até 10 corretagens, como já ia pagar isso de qualquer jeito eu divido ao máximo o aporte.
      Obrigado pela visita!
      Abraço!

      Excluir
  2. interessante essa regra, não conhecia. Vou ver se me adapto a ela. Ficar bolado e triste depois é uma m*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sr Bufunfa!
      Muita gente usa regras de formação de preço médio, mas acho que faz mais sentido pra quem compra ETFs de índice. Para saber mais você pode procurar sobre dollar cost averaging

      http://www.investopedia.com/terms/d/dollarcostaveraging.asp

      Grande abraço!

      Excluir
  3. Janota, não trato sua teoria como anedota. Pensando pelo lado matemático, até pode não ter um fundamento sólido, porém pelo lado psicológico esse lado é fundamental.

    A jornada rumo a IF é uma maratona. Em uma maratona o que mais precisamos é de regularidade, sem exageros para cima ou para baixo. Limitar sua perda e seu ganho em 50% condiz muito com a mentalidade de regularidade.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Enriquecendo!
      Obrigado pela visita! Os fatores psicológicos são a maior causa de falha do pequeno investidor.
      Grande abraço!

      Excluir
  4. Faz muito sentido. Abrir o home broker com esses números ajuda muito o pequeno investidor/operador. Quantas vezes eu fui com a intenção de jogar 100% em um ativo e na hora "H" acabei desviando e reduzindo o aporte porque fiquei com medo? O problema surge ai, pois o risco de comprar um segundo ativo de forma impensada é grande. Em resumo, pensar mentalmente em uma técnica de 50% a menos no ativo preferido te ajuda a escolher o segundo ativo com cautela!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Invisível!
      Pra mim funciona bem! Começo o mês com mais ou menos 8 ativos no radar. Na primeira quinzena compro 2 e na segunda quinzena compro mais 2. Isso nos meses que vou colocar todo o aporte em RV.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Calculando Impostos de investimentos no exterior: passo a passo

Rentabilizando em FIIs com a subida da taxa de juros