Resultado de Trades com Opções - Mai/2019


Salve galera da Finansfera!

Na segunda-feira 20/Mai/19 venceram as opções da série E (CALL) e Q (PUT).




Em Mai/19 tivemos alguns trades tendendo ao exercício, com muitas operações dentro do dinheiro (ITM). O exercício foi evitado através de algumas operações de rolagem.

Vamos aos resultados!

Resultados Mai/2019

A Tabela 1 apresentam os trades que foram finalizados. São considerados os seguintes casos:
- Call/Put que não foi exercida (prêmio embolsado ou reversão de posição com lucro/prejuízo)
- Call Coberta exercida (prêmio + lucro com a venda)

Cenário de muita volatilidade me fez optar por lançar algumas Call sobre minha posição em ABEV3, pois não acreditava que a ação iria decolar, isso funcionou como um hedge na posição com benefício para a carteira em geral.

Foram realizadas algumas rolagens que geraram prejuízo para o mês. E no caso específico de VIVT4 a rolagem foi feita, mas a ação decolou e resolvi encerrar logo o trade para reduzir o tamanho da minha exposição global que acabou ficando bem alta em função das rolagens.
Tab. 1: Trades encerrados
A Tabela 2 apresentam os trades que sofreram exercício e foram adquiridos com desconto através do lançamento de Puts.

ITSA deu exercício, é a ação que estamos fazendo um teste de mais longa duração, isso significa que a compra foi feita pela PUT que venceu em maio. As informações estão sendo coletadas e no final do ano vamos consolidar os resultados.

CIEL3 também deu exercício, a ação está em queda livre. Acreditei que a ação já tinha apanhado bastante, mas pelo visto ainda tá longe do chão.
Tab. 2: Ações adquiridas com Put
Abaixo temos a evolução da renda gerada nesta carteira.
Graf. 1: evolução dos trades
Voltamos para o terreno positivo, mas a rentabilidade foi baixa. Muito em função das rolagens que aumentou a base operacional e gerou alguns resultados negativos no mês.

Próximo Vencimento

Estou migrando para ações mais defensivas e tentando reduzir o grau de exposição. A tabela 3 apresentam as posições abertas.
Tab. 3: Posições abertas
Para fazer um hegde na carteira resolvi lançar Calls sobre algumas posições compradas. Inclusive na CIEL3 onde estou com uma posição invertida (strike da Put mais alta que o strike da Call). O objetivo desta operação é funcionar como paraquedas já que reduz a perda da carteira em função do desempenho ruim da ação, por outro lado se a ação terminar entre os dois strikes há uma realização de prejuízo para compensação futura sem aumento da exposição no ativo.




Conclusão

Sinceramente acreditava em um cenário onde as ações passariam por processos de consolidação e depois uma mudança de patamar para cima. O que faz a estratégia de lançamento de PUT bastante adequada. Porém o governo Bolsonaro inovou e agora prescinde de qualquer oposição. O governo se basta! Percebo que o nível de volatilidades que temos observado desde o período eleitoral permanecerá e por isso esta estratégia se torna perigosa para minha carteira. Volatilidade eleitoral é uma coisa, volatilidade por um governo incongruente é outra.

O lançamento de Call em posições compradas é um hedge interessante, mas o risco de as ações dispararem pode não compensar, como meu viés está mudando, acho que esta estratégia será mais adequada.

Permanece o objetivo de trabalhar aos poucos para montar nova reserva para no futuro voltar a engordar os ganhos com opções de venda (Put), que agora estará ainda mais voltado para ações defensivas.

Ainda tenho alguns trades de maior risco que irei gerenciar para encerrá-los com lucro (esperançosamente). Destaque para OIBR e PETR. Nos dois trades a estratégia é reduzir o preço médio para encerrar o trade com uma Call coberta acima do preço de aquisição.

Em OIBR isso foi feito com Put e se a ação subir para um patamar interessante será lançada uma Call.

No caso de PETR é mais complexo. Tenho uma Call coberta de vencimento longo com um strike alto. Por outro lado, o lançamento de puts está sendo gerenciado via rolagens para evitar um exercício prematuro.

Porém a ação caiu bem e acabei optando por fazer uma compra de ações, que reduziu fortemente o meu preço médio. Aproveitei a nova posição para lançar Call coberta com vencimento para o próximo mês. Minha ideia é também rolar estas Calls até um ponto onde poderei ter um lucro, pois atualmente meu strike está abaixo do preço médio. Este contorcionismo todo servirá para melhorar a situação da call coberta longa, similar ao que foi feito no passado.

Grande abraço, bons investimentos e até o próximo post!!!

Nota 1: Tenho resultados negativos acompensar e por isso não há desconto de imposto de renda (15%) no valor dos ganhos.
Nota 2: Operações divulgadas para fomentar discussão, não indico nenhum ativo para ninguém!
Nota 3: Para ver como calculo minha rentabilidade verifique este post.

Disclaimer: Não sou analista certificado. Todos os ativos apresentados nesse blog são apenas ilustrativos, não representando qualquer indicação (nem de compra, nem de venda, nem de manutenção).
Este blog serve apenas para fomentar discussões e trocar experiências.
Conheça bem o mercado que você investe, pois os resultados de suas operações são de sua inteira responsabilidade.

Comentários

  1. Pelo visto tem sido uma ginástica danada nesses últimos tempos. Alguns analistas dizem que o mercado de alta americano está se encerrando e que em função dos "vasos comunicantes" que existe com a bolsa brasileira, a transição para o bear market vai nos atingir também. Quando isso acontecer talvez os hedges de lançamento coberto não suportem as quedas, bem como as compras com desconto pelo lançamento de put resultem em compras sem desconto algum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Newba!
      Faz todo sentido. Por isso estou trabalhando para reduzir a exposição. Mas ainda não cheguei no patamar que queria.
      Grande abraço!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Calculando Impostos de investimentos no exterior: passo a passo

Conta BB America - taxas ocultas